eSocial o que muda nas empresas?
Uma das principais mudanças é a Cultura Organizacional das empresas, claro, além dos impactos causado no processo de Admissão, Fechamento de Ponto, Fechamento da folha, alteração de cargos, exames médicos periódicos, exames médicos por retorno ao trabalho (em especial caso de afastamento por Licença Maternidade) sendo um dos costumes dizer: “Sempre foi assim”, “Nunca ninguém fiscalizou” ou ainda, a Síndrome de Gabriela “Eu nasci assim, eu cresci assim, vou ser sempre assim”.
Agora será que é vantagem fazer todo o processo internamente, pode ocorrer em outro erro: Será que santo de Casa Faz Milagres, ou a ponto de um médico se alto medicar.
Os líderes nas organizações muitas vezes não possuem sequer um treinamento sobre as principais mudanças e de fato onde ele pode contribuir, não sendo este papel exclusivo do Setor de RH/DP deve haver uma conscientização da empresa como um todo.
Portanto fica a cargo da Direção das empresas qual melhor caminho a seguir: Aderir a uma Consultoria externa até com a finalidade de se evitar vícios, e aproveitar levantar informações através de uma Auditoria relativo a pelo menos 1 (um) ano do que vem sendo praticado por sua empresa. Pois sabemos que o colaborador com a maior boa vontade, faça inúmeros treinamentos, de fato ao colocar em prática o planejamento através de um Plano de Ação terá tempo suficiente?
Especialistas em eSocial estão se formando, porém para de fato ser um especialista em algo que ainda não se verificou na prática, como assim? O profissional para ser um especialista no eSocial, antes deverá conhecer além do leiaute do esocial, das boas práticas de DP/RH da nossa CLT, da Reforma Trabalhista, dos nossos enunciados, OJ, Sumulas, Jurisprudências, NR-Normas Regulamentadores, Processos Judiciais, ai sim podemos dizer que será um profissional Especialista no eSocial. Por outro lado, pelo descrito é um conjunto de profissionais que devem trabalhar mutuamente em prol da empresa, e não em prol somente de seu setor/departamento.
Agora, para aqueles com síndrome do Hard – “Oh dia, oh céu, oh azar isso não vai dar certo.”, ou ainda torcendo para que t ais mudanças na reforma trabalhista altere o cronograma oficial do eSocial.
Porém as alterações quanto ao leiaute do esocial, estas sempre aconteceram, quer seja hoje ou amanhã, e se houver prorrogação para seu inicio será talvez postergado em 02 (dois) no máximo 03 (três) meses, portanto aos pessimistas de plantão esta mais que na hora de se atentar as inúmeras mudanças que nos aguardam pela frente.

Nos últimos treinamentos realizados recentemente no mês de Julho/2017 junto a Entidades Sindicais, empresas e organizado pelo Grupo WSG, verificamos que cerca de 40% dos participantes esta tendo o primeiro contato com o eSocial, e dos outros 60% apenas 40% colocaram algo em prática, portanto são números que de fato assustam, em especial das mudanças causados nos processos internos em especial as empresas de serviços contábeis que o número é maior ainda.

Vejamos o que foi publicado na folha que pesquisa realizada pela consultoria EY (antiga Ernst Young) com 386 companhias com faturamento superior a 78 milhões, aponta que 48% não possuem nenhuma avaliação sobre os impactos e mudanças que terão de ser feitas para que possam adotar o novo sistema.

Veja reportagem completa na folha uol.

http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/07/1901776-empresas-nao-se-preparam-para-novo-esocial-vigente-a-partir-de-2018.shtml

Os comentários estão fechados.